Estádio Cícero Pompeu de Toledo – Morumbi – Estádio do São Paulo

O Estádio Cícero Pompeu de Toledo, chamado de Estádio do Morumbi, é um estádio construído para receber partidas de futebol, sendo a sede oficial do time brasileiro de futebol São Paulo Futebol Clube, já tendo recebido a Seleção Brasileira em várias ocasiões. O Morumbi é o maior estádio particular do país.

Nos primeiros anos de sua existência, o São Paulo utilizou como sede e campo a Chácara da Floresta, (localizada à esquerda da Ponte das Bandeiras, junto ao rio Tietê, na zona central da capital paulista). Daí ser empregado o nome de São Paulo da Floresta quando se fala do primeiro período de existência da agremiação, de janeiro de 1930 até maio de 1935.

Quando o clube foi refundado em dezembro de 1935, não tinha um campo próprio, situação que perdurou até 1938, quando a união com o Estudante Paulista rendeu ao São Paulo a posse do campo da Mooca pertencente à Antárctica. Em 1940 passou a usar o Pacaembu.

Em 1944, o São Paulo adquiriu o Canindé, por Cr$ 12.000.000,00 que passou a ser o seu campo. Mas o Canindé só era utilizado como sede social e local para treinamentos; a área era pequena para a construção de um grande estádio e então surgiram ideias e projetos para a viabilização de uma praça esportiva em algum outro local da cidade.

O sonho de construir um grande estádio começou a se tornar realidade. A ideia inicial era a área onde atualmente encontra-se o Parque do Ibirapuera, na época uma região alagada, mas o então vereador Jânio Quadros impediu que o clube recebesse a área da prefeitura. O local escolhido foi uma área na região do Morumbi, praticamente desabitado, que estava em processo de loteamento imobiliário.

Em 4 de agosto de 1952 o terreno foi doado para a construção do Morumbi pela Imobiliária e Construtora Aricanduva que era de propriedade de Adhemar Pereira de Barros governador de São Paulo. Neste mesmo ano, 1952, o presidente do clube, Cícero Pompeu de Toledo, procurou Laudo Natel, diretor do Bradesco, propondo-lhe que assumisse o clube administrativamente. Em 1952 o governador do Estado de São Paulo era Lucas Nogueira Garcez (31/01/1951 a 31/01/1955). Laudo Natel era diretor do Bradesco, não ex-diretor em 1952, e não tinha nenhum cargo político ou exercia algum, tampouco poderia ser vice-governador. Laudo Natel somente entrou para a política em 1962, dez anos depois, quando então elegeu-se vice-governador em chapa única pelo PR (Partido Republicano) com 1.200.000 votos. Tomou posse do cargo em 31/01/1963, e não era vice de Adhemar, e nunca foi, pois as eleições para governador e vice eram independentes à época. A Imobiliária e Construtora Aricanduva S/A era presidida por João Jorge Saad, genro de Adhemar de Barros e dono da Rádio e Televisão Bandeirantes.

No dia 15 de agosto de 1952, Monsenhor Bastos abençoou os terrenos e foi lançada a campanha Pró-Construção do Morumbi. Foi eleita uma comissão constituída pelo presidente Cícero Pompeu de Toledo e pelos seguintes nomes: Piragibe Nogueira (vice-presidente); Luís Cássio dos Santos (secretário); Amador Aguiar (tesoureiro); Altino de Castro Lima, Carlos Alberto Gomes Cardim, Luís Campos Aranha, Manuel Raimundo Pais de Almeida, Osvaldo Artur Bratke, Roberto Gomes Pedrosa, Roberto Barros Lima, Marcos Gasparian, Paulo Machado de Carvalho e Pedro França Filho Pinto. Iniciava-se então, uma nova fase na vida do São Paulo Futebol Clube.

Parte do dinheiro da venda do Canindé (vendido à Portuguesa de Desportos em 1956) foi revertido em material de construção. Toda a receita do clube também foi investida na construção do estádio, ficando o time num segundo plano. As obras para a construção do novo estádio começaram em 1953.

Visão da fachada externa.
No dia 31 de outubro de 1956, o então prefeito de São Paulo, Wladimir de Toledo Piza, autorizou um empréstimo de CR$ 5.473.000,00 da Prefeitura e CR$ 5.500.000,00 do Governo do Estado (juntos, representam 4,54% do valor da obra ), para a construção do estádio. Também esse empréstimo foi feito ao Corinthians e Palmeiras através das Leis 5066 de 22/10/1956 e 5080 de 13/11/1956 respectivamente, a Lei 5073 de 31/10/1956 autorizou o empréstimo ao SPFC, e a Lei 5064 ao Clube Atlético Ypiranga, mas o SPFC foi o único a declarar, os demais clubes receberam o dinheiro, não pagaram o empréstimo público e tampouco construíram alguma coisa.

O projeto do estádio do Morumbi teve a criação do arquiteto Vilanova Artigas, um dos principais representantes da “escola paulista” da arquitetura moderna.

Alguns números do Morumbi: para o desenvolvimento do projeto foram necessárias 370 pranchas de papel vegetal; cinco meses foram consumidos nas terraplanagens e escavações, com o movimento de 340 mil metros cúbicos de terra; um córrego foi canalizado; o volume de concreto utilizado é equivalente a construção de 83 edifícios de dez andares; os 280 mil sacos de cimento usados, se colocados lado a lado, cobririam a distância de São Paulo ao Rio de Janeiro; 50 mil toneladas de ferro, que daria para circundar a Terra duas vezes e meia.

Num determinado momento, uma troca foi proposta pela prefeitura que ficaria com o Morumbi e o São Paulo, com o Pacaembu. Mas Laudo Natel, apoiado por toda a diretoria, prosseguiu a batalha, após a morte de Cícero Pompeu de Toledo.

Estréia:
A partida que inaugurou o estádio aconteceu no dia 2 de outubro de 1960. O São Paulo venceu o Sporting Lisboa, por 1×0. O árbitro da partida inaugural foi Olten Ayres de Abreu. O primeiro gol do Morumbi foi marcado por Peixinho (Arnaldo Poffo Garcia), aos 12 minutos de jogo, diante de 56.448 pessoas que lotavam o estádio ainda inacabado, pois o objetivo era abrigar 120 mil pessoas, com renda de Cr$7.868.400,00, recorde em amistosos na época. Uma informação; o gol marcado por Peixinho foi de cabeça, se jogando quase rente ao chão. Daí nasceu a expressão “gol de peixinho”. É citado esse lance, erroneamente, pois faz-se uma analogia com o peixe nadando e o jogador cabeceando, mas o correto “gol de peixinho” é pelo primeiro jogador a marcar no Morumbi e por essa jogada característica.

O São Paulo jogou com: Poy; Ademar, Gildésio e Riberto; Fernando Sátyro e Víctor; Peixinho, Jonas (Paulo), Gino Orlando, Gonçalo (Cláudio) e Canhoteiro; técnico Flávio Costa. O Sporting Lisboa formou com: Aníbal; Lino e Hidário; Mendes, Morato e Július; Hugo, Faustino, Figueiredo (Fernando), Diego (Geo) e Seminário; técnico Alfredo Gonzalez.

A inauguração total do Morumbi ocorreu no dia 25 de janeiro de 1970. A partida de comemoração foi entre São Paulo e Porto, de Portugal, e terminou empatada em 1 a 1. Vieira Nunes abriu o placar para a equipe portuguesa, aos 32 minutos de jogo e Miruca empatou para o São Paulo aos 35 minutos do primeiro tempo. O árbitro da partida foi José Favilli Neto e o público foi de 107.069 espectadores presentes (59.924 pagantes).

O jogo teve a presença do presidente da República, o general Emílio Garrastazu Médici, e do governador paulista, Abreu Sodré.

O São Paulo jogou com: Picasso; Édson, Jurandir, Roberto Dias e Tenente; Lourival e Gérson; Miruca (José Roberto), Toninho, Téia (Babá) e Paraná (Claudinho); técnico Zezé Moreira. O Porto formou com: Vaz; Acácio, Valdemar, Vieira Nunes e Sucena; Pavão e Rolando; Gomes, Chico (Seninho), Pinto (Ronaldo) e Nóbrega.

Após esta inauguração o Morumbi passou a ser chamado de “o maior estádio particular do mundo”, apesar da redução de sua capacidade de 120 para 85 mil espectadores nos anos 90, por medida de segurança. Entre 1994 e 1996 o estádio passou por uma série de reformas para melhorias na estrutura (que apresentava falhas), foram colocados amortecedor de impacto e para a colocação de assentos nas arquibancadas e nas chamadas “gerais” e teve a capacidade reduzida em 10 mil pessoas.

O nome oficial é Estádio Cícero Pompeu de Toledo, em homenagem ao ex-jogador, dirigente e presidente do clube.

Complexo Social:
A inauguração parcial do Estádio do Morumbi foi importante para o lançamento do Complexo Social do Clube.

A iniciação da venda dos “Títulos Sociais” contou com com vendas estimadas em 7.500 unidades ao preço de cem mil cruzeiros tendo os proprietários de cadeiras cativas 25% de desconto e os associados, 20%. Com a arrecadação foram iniciadas as obras, com custo aproximado de cem milhões de cruzeiros, da sede da praça de esportes (provisória), três piscinas, cinco conjuntos de quadras de tênis, uma quadra de voleibol e futebol de salão, uma de basquetebol, dois paredões duplos para aprendizagem de tênis, playground, campo de futebol, canchas de bocha, além da iluminação do estádio.

Hoje, o complexo social do clube possui uma área total de 85.000 metros quadrados e é considerdo uma das mais estruturada sedes sociais do Brasil. Possui um dos maiores espelhos d’água do país e um tobogã aquático de 40 metros. Possui também uma grande estrutura contando com: duas piscinas aquecidas, lanchonetes, restaurante, salão de festas, cabeleireiro, cinco ginásios poliesportivos, sete quadras externas, três campos de futebol para uso dos associados (um gramado e dois sintéticos), duas quadras de paddle, oito quadras de tênis, uma quadra de vôlei de areia, berçário, salas de ginástica e musculação, playground, vestiários masculino e feminino, sauna e área com churrasqueiras.

A Diretoria Social Cultural organiza periodicamente eventos, cursos e palestras. Há ainda a biblioteca com um acervo diverso e com 5.500 títulos estimados. No espaço cultural são disponibilizados na hemeroteca os principais jornais e revistas. A gibiteca da sede social oferece muita variedade e qualidade no seu acervo.

fonte: wikipedia

Endereço: Praça Roberto Gomes Pedrosa, 1 – Morumbi, São Paulo – SP, 05653-070
Inauguração: 2 de outubro de 1960
Capacidade: 72.000
Telefone: (11) 3749-8000
Proprietário: São Paulo Futebol Clube

[TS-VCSC-Google-Maps googlemap_api=”true” maptype=”SATELLITE” mapstyle=”style_default” height=”400″ coordinates=”-23.59948, -46.7192326″ metric=”true” markerzoom=”17″ mobileactivate=”true” mapfullwidth=”true” breakouts=”6″ mapfullwrapper=”false” directions=”true” geolocation=”true” geolayer=”1″ autocomplete=”false” controls_pan=”true” controls_zoom=”true” controls_wheel=”true” controls_scale=”true” controls_street=”true” controls_style=”false” tooltipvisible=”true” markerstyle=”marker” markerinternal=”summercamp.png” markeranimation=”true” markeranimationtype=”drop” margin_top=”20″ margin_bottom=”20″]Endereço: Praça Roberto Gomes Pedrosa, 1 – Morumbi, São Paulo – SP, 05653-070
Inauguração: 2 de outubro de 1960
Capacidade: 72.000
Telefone: (11) 3749-8000
Proprietário: São Paulo Futebol Clube[/TS-VCSC-Google-Maps]
  
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com