SÃO PAULO OKTOBERFEST COMEMORA SUCESSO DA PRIMEIRA GRANDE FESTA ALEMÃ

Depois de oito dias de festa, a organização da São Paulo Oktoberfest comemora os resultados da primeira edição do evento que entrou para o calendário oficial da cidade. Os números mostram que o paulistano abraçou ainda mais a cultura alemã, curtiu as músicas típicas e apreciou os pratos com sabor germânico, além da grande variedade de chopes e cervejas oferecidas.
“Construímos essa Oktoberfest do zero, com o apoio de patrocinadores e apoiadores que acreditaram nessa integração cultural entre Brasil e Alemanha.
Mesmo com muita chuva durante alguns dias, que não permitiram um número maior de visitantes, tivemos mais de 75 mil pessoas curtindo o evento.
Vale destacar também que não tivemos registro de incidentes sérios envolvendo a segurança que afetasse o animado clima familiar da festa durante todo o período, e que as linhas especiais de transporte público facilitaram o acesso até o Anhembi. Com base nessa ótima experiência da primeira edição, vamos fazer uma festa ainda melhor em 2018”, afirma Walter Cavalheiro, Presidente da São Paulo Oktoberfest.
Durante o evento foram consumidos mais de 110 mil litros de chopes e cervejas.
Mais de 70 rótulos de cerveja estiveram à disposição do público, a maioria artesanais, tornando o espaço das pequenas cervejarias um dos mais animados do local, junto aos food trucks e ao palco de rock. O grande consumo de chope e cerveja se deve também ao fato dos tipos criados especialmente para a Oktoberfest, como a Brahma Extra Märzen Lager, servida apenas dentro da tenda, e do rótulo da Germânia, que podia ser apreciado do lado de fora da tenda.
A comida alemã também caiu ao gosto do público.
Foram consumidas 16 toneladas de pratos típicos dentro da tenda, a Biertent.
O joelho de porco, “eisbein”, foi o predileto dos participantes, totalizando 4 mil pedidos ao longo da festa.
Do lado de fora, no Biergarten, foram mais 10 toneladas de alimentos, incluindo salsichas assadas, pretzels, hambúrgueres, espetinhos e muito mais.
As bandinhas alemãs, a maioria do Sul do país, também fizeram sucesso nos palcos interno e externo.
Os cantores faziam questão de ensinar os refrãos, que rapidamente eram cantados por todos.
A mistura com artistas brasileiros aumentava a animação, sempre com a noite sendo encerrada por um grande nome como Banda Eva, Péricles, Cidade Negra e Michel Teló – que lotou a Biertent no último domingo.
A São Paulo Oktoberfest já está confirmada para os anos de 2018, 2019 e 2020, com o apoio institucional da prefeitura municipal.

  
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com